Em recuperação judicial, Livraria Cultura enfrenta mais de 150 ações na Justiça do Trabalho

O número de ações trabalhistas na Justiça do Trabalho contra a Livraria Cultura cresceu no ano passado, mesmo período em que a rede de livrarias entrou com pedido de recuperação judicial justificando que se encontra em crise econômico-financeira. As dívidas da companhia chegam a R$ 285,4 milhões.

De acordo com o G1, dados do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) da 2ª Região, que abrange 46 municípios da região metropolitana de São Paulo e Baixada Santista, mostram que há 171 processos em tramitação na 1ª e 2ª instâncias. Esses processos incluem ações coletivas de ex-funcionários da livraria. Só os processos abertos em 2018 somam 63.

Ainda segundo a publicação, atualmente, há 43 processos em tramitação na 1ª instância, de acordo com o TRT da 2ª Região. Os principais assuntos dos processos se referem ao não pagamento de verbas rescisórias.

Em outubro do ano passado, funcionários demitidos da Fnac protestaram em lojas da Livraria Cultura para reivindicar o pagamento de direitos trabalhistas.